Chafariz

Delirios satíricos plantados e estimados na Vila Jardim. Se não tem sentido de humor, o problema é seu!...

3.4.05

Oposição desmascara autarcas

"Eles querem ficar colados à cadeira!"

As eleições autárquicas aproximam-se velozmente e o confronto político começa a borbulhar, qual tacho de cozinha fervida prestes a aterrar na mesa.
O director de campanha do PS local acusa os actuais autarcas de estarem à procura de formas que os façam perpetuar no poder, e parece já ter algumas provas.

"Nas últimas semanas tem havido diversas encomendas de cola no Gregório, feitas por alguns vereadores, e o próprio presidente da câmara deslocou-se a essa loja e encomendou 10 litros de cimento cola Optiroc, que parece ter um prazo de validade de 50 anos.
A população deve ser informada destes factos, pois para nós, encomendas deste tipo de colas representam o óbvio, estes autarcas querem colar-se às cadeiras do poder de forma perpétua."

E o porta-voz do PS ainda lançou mais uma grave insinuação:

"Somos totalmente contra esta forma de fazer colagens. As colas provavelmente são tóxicas e inimigas do ambiente. O PS compromete-se com a população do Sardoal, que caso vença as eleições tentaremos colar-nos ao poder usando colas biológicas, amigas do ambiente. A natureza do Concelho não pode ser prejudicada pela falta de consciência ecológica destes autarcas."

O Chafariz procurou esclarecimentos junto de Gregório Fernandes acerca da toxicidade das colas, mas este foi evasivo: "As colas cumprem as normas ambientais europeias. O presidente da câmara só queria arranjar uma bancada de cozinha..."

23.3.05

Miguel Borges ambiciona dirigir um grupo rock

Assemblent estão na calha

Conhecido maestro da nossa zona, Miguel Borges divide o seu tempo entre a F.U.S., a O.L.A. e o Canto Coral do GETAS. Mas achando que consegue arranjar um buraco no seu preenchido horário, juntando à grande vontade de experimentar algo de novo, Miguel pensou nos Assemblent. “E que tal ser maestro duma banda de rock pesado?”.

Sérgio, vocalista da banda metal, gostou da ideia “é um excelente desafio, além disso, vai ser muito interessante equipar o Miguel com fatos pretos de cabedal, correntes e uma fita na cabeça”. Apesar de não haver confirmação por parte de Miguel Borges, sabemos que já estarão a decorrer experiências na garagem em Carvalhal, onde habitualmente a banda ensaia.

Acerca da alegada existência de uma foto em que Miguel Borges, à saída de sua casa, calçava botas pretas, cinto de fivela larga e uma t-shirt dos Ramones, O maestro assumiu desconhecer por completo. Embora tenha confessado um fraquinho pela banda, não se alongou nos comentários do projecto conjunto, prometendo novidades para breve!

16.3.05

Centro de Saúde muda para Centro de Dia

Assim sendo, Dr. Lopes Dias promete chegar a horas

Depois de bastante ponderação, o Centro de Saúde do Sardoal, vai fazer as alterações devidas para se tornar num Centro de Dia. Na reunião com os funcionários, a concordância foi geral. Para além da frequência assídua das pessoas, tem o espaço ideal para actividades de lazer. Em part-time, serão feitas algumas consultas, conforme a disposição dos médicos mas o principal objectivo será a realização de dinâmicas acções de entretenimento público.

As modificações a criar serão a colocação de várias televisões com ligação à SporTv, uma sala de massagens tailândesas e a abertura de inscrições para clubes de xadrez, matraquilhos e sueca. Este último é o que mais inscrições conseguiu obter, sendo um dos inscritos, o Dr. Lopes Dias. Este promete chegar a horas aos treinos e aos torneios, mas impôs uma condição, os baralhos têm que ser patrocinados pelo Gurosan.

O projecto inclui, também, a abertura de um bar para facilitar a vida dos sócios. Assim sendo, está aberto o concurso público para a gerência do bar. Local onde serão vendidos todo o tipo de produtos genéricos. A oferta vai de souvenires, ao vinho da casa, medicamentos, saquinhos de soro e tabaco (mas daquele para se deixar de fumar).

13.3.05

Pairam suspeitas sobre o Chafariz

Royal With Cheese e Leocádio Fagundes Gouveia sob fogo cerrado

Em todas as esquinas da vila apontam-se identidades dispersas para os dois criadores do blogue Chafariz, a que se juntam histórias romanescas que se misturam com organizações radicais nacionais e internacionais.

As farpas andam à solta na vida social sardoalense, tanto que Royal With Cheese já possuiu mais identidades do que Pretender e James Bond juntos. O dramatismo a que se assiste é tal que se torna mais difícil apontar a identidade de Leocádio Gouveia do que encontrar um Lince Ibérico na Serra da Malcata. Simultaneamente, uma rede de apostas sediada numa cave obscura das Ruas Velhas junta uma irmandade secreta, com o propósito claro de tirar as máscaras aos autores. Nessas sessões, plenas de esoterismos, rituais satânicos e jogos do berlinde, chega-se a apostar dez grades de “minis” no Café Rita. Uma inclinação errada para uma pessoa e algum lar da vila pode passar por dificuldades económicas extremas, tal é a ordem das quantias em jogo

Há quem atribua o blogue à filial partidária local do Bloco de Esquerda, que se prepara para aterrar no burgo, pelo arrojo dos textos e ideias libertinas, mas principalmente pela vontade de ver Ana Drago e Joana Amaral Dias nas ruas da vila. Mentes mais perturbadas atribuem à Al-Qaeda e a alguns seguidores de Usama bin Laden a criação dos textos, pelo forma terrorista e perigosa como colocaram jovens em manifestações na escola ou o cão Rock na esquadra local.

Para já, Leocádio e Royal são pessoas calmas e serenas: “Sabemos que a águia-real sobrevoa a zona, mas estamos à coca com as abetardas vigilantes.“ [palavras exclusivas, enviadas em carta registada, com escrita inversa e tinta invisível].

10.3.05

Pensar Sardoal termina

Ideias Fictícias suspira de alivio

Ideias Fictícias, blogue satírico, pode voltar sair à rua sem ser olhado de lado. Inicialmente com uma administração independente, mas com ligações directas ao sensacionalista Pensar Sardoal, Ideias Fictícias que era reconhecido por todos, ultimamente já temia pela sua vida. Com um saldo de comédia, há muito no vermelho, não tinha já orgulho no que fazia e muito menos em viver. “Foram várias as tentativas de suicídio, mas sempre que avançava calmamente para a morte, surgia algo que estancava as feridas e empurrava-me, uma vez mais, para a humilhação da vida” relatou pessoalmente, o blogue, para este.

Na altura da sua criação, sentia entusiasmo em seu redor, mas em menos de um ano passou do céu para o inferno. Sentimento este, não compreendido pelo principal mentor destes dois projectos conjuntos. Em declarações ao Chafariz, Bruno Costa foi bastante expressivo nas suas afirmações, “como é possível não entenderem o excepcional humor do Ideias Fictícias?? Se havia um espaço humorístico sardoalense da qualidade do “Prédio do Vasco”, esse era sem dúvida alguma, o Ideias Fictícias!”

No Sardoal, há quem diga que este Ideias Fictícias era um sósia manipulado do primeiro. Segundo se diz, o original foi aprisionado por não concordar com a forma como era dirigido. Aparecendo mais tarde outro, muito parecido fisicamente, mas com pretensões completamente diferentes e deturpadas. “Felizmente o bem continua a vencer” gritavam as pessoas depois de saberem a boa nova. Para a história fica o blogue que durante a segunda fase da sua existência quase teve piada em 2 textos.

4.3.05

Painel de Gil Vicente “chora” lágrimas de vinho tinto

E parece que é pinga da boa

Foi na passada terça-feira que um grupo de idosos, habitual frequentador das tardes de Inverno do Pelourinho, reparou que o histórico painel na parede da Capela do Espírito Santo parecia estar a ganhar uma tonalidade avermelhada.

Por acaso, àquela hora passavam algumas das beatas que se dirigiam à Igreja Matriz para as suas orações de final de tarde, que rapidamente se ajoelharam vendo naquele acontecimento um sinal divino. Chamado ao local, o Cónego Esteves apercebeu-se que havia um forte cheiro a vinho tinto em toda a zona de Pelourinho, e depressa se apercebeu que o odor viria do painel de azulejos.

A praça foi-se enchendo de sardoalenses curiosos com o fenómeno, e uma comitiva que abandonou o “Palhota” para verificar in-loco o que se estava a passar, depressa ganhou coragem para provar o líquido que jorrava do painel. Rapidamente se chegou à conclusão que era vinho tinto, por sinal bem bom. Tão depressa como se encheu a Praça, tão depressa se esvaziou. Uns frustrados por acharem ali uma partida de mau gosto, outros em busca de garrafões e garrafas para preencher a adega caseira.

O vinho continua a brotar dos azulejos, especialmente junto à personagem de Jorge, o “Lagarto”; e a grande questão continua sem resposta: porque brota “Quinta do Côro – Cabernet Sauvignon 2002” nuns dias e noutros “Quinta do Vale da Lousa - Cantarinho 2001”?

22.2.05

Autárquicas Já Mexem

Partidos Organizam Excursões Para a Terceira Idade

Apesar de serem somente em Outubro, as eleições autárquicas começam a sentir-se um pouco por todo o Concelho. Que o digam alguns habitantes de Alcaravela que de um momento para o outro começaram a ser transportados, em carros de alta cilindrada, para as missas dominicais por elementos próximos aos partidos da oposição.

Mas a resposta não deve tardar, o Chafariz sabe que alguns elementos da campanha do partido do poder ponderam o aluguer de carrinhas para transportar alguns idosos de Alcaravela até ao Sardoal para efectuarem as compras na Casa Falcão ou na loja do Nogueira (antigo Casado).

Em entrevista a alguns idosos no Café Pita, Fontelas, o Chafariz pôde observar o entusiasmo de alguns deles com esta nova forma de fazer campanha eleitoral, e uma esperança que o Bloco de Esquerda apresente uma candidatura à Câmara Municipal: “A gente gostamos de ser levados à missa e ao Falcão, mas a rapaziada do Bloco era capaz de alugar uns autocarros para nos levar até ao Bataclã(*)!”

(*)- O Bataclã também é conhecido por Varão ou F.R. Bar.

18.2.05

Rock entra para a GNR

Era urgente um pouco de intelecto no posto

Há muito que a perseguição movida pela GNR ao Lagarto Bar era evidente. Finalmente, hoje, conseguimos descobrir as verdadeiras intenções da força policial. Fãs do Grupo Novo Rock, cuja sigla é igual à sua, o objectivo foi sempre tentar juntar o útil ao agradável! Levar o Rock para a esquadra, não como criminoso mas como camarada.

Após morosas conversações entre Fernando Agudo e cabo Louro, firmou-se o acordo há muito desejado. Em troca dum trato de não agressão por parte da GNR em relação ao Lagarto Bar, o empresário Fanã, como é conhecido na noite, cede o seu cão para futuras investigações policiais.

Criado desde sempre no Sardoal, Rock, conhece a noite e os biltres como ninguém. Identificando muito bem o odor de cada um deles, está já em curso a criação duma base de dados para a fácil identificação de larápios e foras-de-lei em geral! Mas enquanto esta não está concluída, Rock, um pastor alemão de grande porte, foi encarregue de angariar uns chouriços, morcelas e afins para um petisco antecipadamente marcado para o dia das eleições.

A noticia, segundo sabemos, estará a fazer furor, pois já houve novo acordo, mas desta vez com uma estação televisiva para uma série policial de entretenimento. Após Rex, o Cão Policia e Inspector Max, vai surgir o Guarda Rock.

11.2.05

Fadistas Sardoalenses Queixam-se da Pirataria Online

E ameaçam “piratas”!

A pirataria de música através da Internet parece estar a atingir a comunidade fadista Sardoalense. Em declarações ao Chafariz, Miguel Simples, fadista e pintor, lançou o alerta: “Ontem à noite havia 2 pessoas a partilhar o “Rosas Amarelas” no Soulseek! Se isto não é disseminar ilegalmente a obra de um artista... A continuar assim não há carreira que aguente!”
Já Vítor Costa, mostrou-se totalmente consternado: “Desde esta vaga de pirataria que não vendo um único CD. Desde Novembro do ano passado que não vendo um único exemplar do “Táxi, Lisboa e Fado”, nem no Mercado Semanal de Alcaravela...”
Júlia Pacheco, que se aprontava para subscrever um contrato com uma editora multiregional, decidiu adiar os seus planos: “A continuar assim esta carreira está condenada à partida. A pirataria é um flagelo.”. As declarações de Júlia Pacheco foram recolhidas depois de terem sido postas a circular na Internet cópias da maqueta do seu primeiro álbum: “De Criança a Severa, 25 Anos de História do Fado Lagarto”.
A super compilação “Green, Hot and Fado”, que iria contar com a participação de grande parte de fadistas sardoalenses também se viu adiada depois desta vaga de cópias ilegais a circular pela Internet. Mário Casulo, responsável pelo projecto, adiantou ao Chafariz: “É só descobrir os gajos que andam a piratear o fado sardoalense e fazemo-lhes a “folha”!”

Lapso conduz bombeiros a festa alheia

Afinal, tudo não passava de uma festa da Opus Gay Sardoal

O discurso horrorizado de um grupo de bombeiros, que por má interpretação apareceram numa festa de outrem, é impressionante! Após terem lido um panfleto, onde anunciava uma estrondosa “Festa da Mangueira” a realizar numa tenda de circo, na zona do Telheiro, este ingénuo grupo de bombeiros, pensou tratar-se de uma tertúlia de bombeiros da nossa zona. Mas quando chegaram lá e se depararam com um enorme comboio ficaram estarrecidos.

O comboio nem foi o pior, afinal todos se riam”. Segundo este bombeiro que preferiu ficar no anonimato, “autêntico pânico, senti quando passaram a “Daddy’s Cool”, essa terrível carnificina da música internacional”.

Devido aos foliões não se “desgrudarem” por nada deste mundo, os bombeiros presentes ligaram para o carro desencarceramento. Pediram, também, a presença dum carro-tanque por prevenção, não fosse o ambiente pegar fogo, que chegou com o aparato normal destes sucedidos, sirenes e pirilampos ao rubro. Os presentes não se aborreceram, “uma mangueira grande e grossa!”, foi o pensamento mútuo!